Não

Há pessoas que se deixam verdadeiramente afectar por esta questão (digo isto, porque eu conheço algumas.)

A importância de saber dizer NÃO!

Dizer não, não significa que sejamos incompetentes, mal dispostos, arrogantes ou armados em muita bons.

Um não, podem ser várias coisas:

  • Não agora. Falamos sobre isso depois
  • Não posso ajudar porque não domino o assunto e o tempo que perderia a investigar é maior do que a importância que tem o assunto em si.
  • Não. Hoje não dá mesmo. Tenho a agenda em overbooking.

Estes são alguns exemplos da forma fácil como tiramos de cima dos ombros um macaquinho bem pesado.

O que a incapacidade das pessoas que não dizem não trás é tão prejudicial como:

  • Ansiedade e medo: sempre com receio de vir alguém pedir alguma coisa e lá se vai a organização toda do dia para o galheiro.
  • Frustração: aceitar fazer coisas que não dominamos, obriga-nos a perder muito tempo e provavelmente como não somos a pessoa indicada para o fazer, acaba por ter erros e serão nos dito na cara.
  • Nervos: como aceitamos tarefas que não estava na nossa lista diária, vamos empancar o dia e acabamos por ficar nervosos e por as nossas tarefas serem fortemente prejudicadas quer em tempo quer em dedicação por não termos tido a capacidade de dizer não.
  • Agradar: como já falei aqui, tentar agradar é um ciclo vicioso, para ambas as partes, para quem pede (que se apercebe claramente que pode usar e abusar da outra pessoa que está disponível para fazer tudo) e para quem o faz (porque se sente útil mesmo que seja quase em modo de prestar vassalagem).
  • Disponibilidade: quem diz que sim a tudo o que lhe pedem é porque claramente tem tempo livre, ou mesmo que não tenha, é essa a imagem que passa.

Claro que se não nos prejudicarmos, podemos aceitar fazer o que nos pedem e até aprender com isso. Mas será que é mesmo necessário fazermos tudo o que nos pedem? Será que os pedidos são todos urgentes? Temos que saber avaliar isso.

Eu tenho alguma facilidade de dizer não (e agora aquele riso de bitch maquiavélica AHAHAH) mas para quem não tem, ficam aqui umas dicas fofinhas:

Situação:

Preciso de me faças um documento que explique na totalidade como se procede a procriação dos rinocerontes…

Resposta: Olha por acaso tenho imenso interesse sobre a procriação dos rinocerontes mas neste momento tenho o meu trabalho mais empancado que o FCP… mas olha, quando souberes mais informações sobre esse tema vamos almoçar para me falares nisso. (assunto chutado para canto + sentido de humor + interesse –ainda que fake – sobre o assunto + descarte total da tarefa sem má onda)

Situação: Quando acabares esse relatório faz uma pesquisa sobre…

Resposta: Desculpe interromper mas ainda bem que o encontro. Preciso que me ajude acabar um relatório sobre os dados financeiros do Xiribahoki… (pedido respondido com outro pedido, ou melhor, pedido anulado com outro pedido, não se disse não, mas chuta-se para mais tarde).

Situação: Sabe se há hotéis bons em Lisboa? (aquelas perguntas de quem quer uma lista e se a pessoa lhe dá, quer logo que lhe faça uma reserva e a seguir alugar carro e fazer de guia na feira do relógio).

Resposta: Oh Doutora acha que eu sei se há hotéis em Lisboa? Eu vim do interior, veja com a Sara a sua assistente que tem aquele ar todo moderno. (toma lá e embrulha! A doutora fez-se de parvinha e levou resposta na mesma medida e sempre com sorriso na venta! Comportamento gera comportamento! Assunto chutado sem ter havido a palavra não).

Poderia dar mais uns tantos exemplos de dicas para se dizer não, sem usar a palavra ou sem beliscar relações mas acho que o mais importante é perceberem que tudo o que vos vá prejudicar não é bom.

E se por dizerem sim, têm que lesar a vossa produtividade, criatividade e organização não faz sentido. Mais cedo ou mais tarde acabarão por começar a cometer falhas e serão punidos por isso. E esta punição nota-se na saúde, na vida profissional e pessoal.

Hoje falei na dificuldade de dizer não em ambiente profissional mas isto estende-se para a vida pessoal também quer com adultos, crianças e até animais. Ora vejam este exemplo:

Situação: No Domingo vais almoçar ao pais não vais? A mãe disse que ficaste de levar o vinho. Já que vais ao supermercado faz-me um favor e trás pão e gelado também.

Resposta: Até ia, mas já fui ao supermercado ontem e já tenho o vinho. Beijinhos, vemo-nos no Domingo! (é assim! Dizer não com simpatia e sem deixar margem para mais pedidos)

Isto não são certezas absolutas porque não as tenho, nem tão pouco as procuro, mas foram dicas que ao longo da vida fui aprendendo e me foram ajudando a ser mais feliz.

Espero que desse lado surta o mesmo efeito! 🙂

NOT

Se quiseres saber mais sobre o #PorqueEuEscolhiSerFeliz espreita aqui:

#PorqueEuEscolhiSerFeliz

5 Replies to “Não”

  1. Muito bom o teu post.

    Beijinhos! 🙂

    1. Sempre excelentes dicas. Já tínhamos saudades, nossa Amélie! <3

      1. Sempre no meu coração <3

    2. Obrigada! Beijinhos 🙂

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: