I’m feeling | Sim, é o Hugo, é meu amigo e é um Homem Trans

Pensei muito se haveria de escrever este post ou não.

Não por ser um tema polémico, mas por ser um tema.

Ainda se fala nisto com estranheza, preconceito e ignorância.

E isso chateia verdadeiramente.

Já por várias vezes manifestei aqui no blog a minha opinião sobre alguns temas que são alvo de preconceito, como o racismo, homofobia, xenofobia…

Hoje venho falar de um amigo meu, aliás, estou a escrever este post com ele ao meu lado.

O Hugo!

Arquitecto, filho de um médico que exerce em Londres e de uma mãe que tem uma galeria de arte e é pintora. Irmão de uma excelente bailarina.

Teve sempre notas muito boas e acabou o curso a estagiar num grande gabinete de arquitectura. Assinou vários projectos conhecidos.

Mora em Lisboa, tem 38 anos, tem dois cães, vai ao ginásio todos os dias, adora sushi, viaja muito e lê cerca de 2 a 3 livros por mês.

Tem uma namorada linda, daquelas de fazer parar o trânsito.

E, para além disto, o Hugo é um homem transgénero.

E agora?

E agora nada!

E agora vamos parar de ser preconceituosos!

No outro dia, finalmente, tive coragem de ter uma conversa sem merdas com o Hugo e perguntar tudo o que sempre quis saber.

E fiquei esmagada por dentro.

Fiquei e não consigo disfarçar o quão incomodada fiquei.

Porque ainda me custa muito a entender porque as pessoas são tão ignorantes que se tornam terrivelmente más.

Será que já imaginaram o quão doloroso é este processo?

O quão agressivo psicologicamente?

A quantidade das operações?

Os olhares?

Os documentos?

O nome?

A família?

Será que ao invés de lhes chamarem aberrações pensaram na dimensão de um processo destes?!

Colocaram-se nos sapatos deles?

CHEGA!

Chega de acharem que tem direito de aceitarem as pessoas como se fossem coisas.

Parem de se acharem “normais” e os outros é que não.

O normal é o quê?!

Se não sabem o que significa ser transgénero, transexual, homossexual, travesti ou cisgénero pesquisem, informem-se e parem que criticar e desprezar.

Quero apenas dizer que há duas coisas que são muito diferentes, a identidade de género é uma coisa e a orientação sexual é outra!

E tantas vezes são postas no mesmo saco ou como sendo a mesma coisa.

Mas não são!

Sabem o que é já ter a aparência de homem e ser chamado numa sala de espera de médico, como “Maria”?

Imaginam a humilhação?

Ou a dificuldade de viajar porque no aeroporto com a diferença das fotografias e nome nos documentos para a aparência física actual dava sempre problemas.

Durante a fase de transição os olhares, os comentários:

“Um dia ainda te vais arrepender…”

“Que pena, eras uma menina tão bonita…”

Ou irem ter com os vossos pais quase a darem força, como se o filho estivesse doente e a morrer.

Ou isso ser assunto numa reunião de condomínio, como se estivesse a avisar que a moradora do 3 frente agora é um homem.

É tão surreal que parece mentira, mas infelizmente não é!

É isto e muito mais que, por ser tão mau, decidi não partilhar.

Só peço a todos que se informem e que se ponham nos sapatos das pessoas que têm um processo deste pela frente.

E peço ainda que parem de dizer:

“Eu aceito…”

Não estamos a falar de coisas, mas de PESSOAS.

Respeito, é disto que se trata!

Como diz Pabllo Vittar:

“Está na hora de transformar o preconceito em respeito”.

Obrigada Hugo, por confiares em mim, por me deixares partilhar de ti aqui no blog e, sobretudo, por me ensinares tanto.

 

Créditos da fotografia: Chris Barbalis

3 Replies to “I’m feeling | Sim, é o Hugo, é meu amigo e é um Homem Trans”

  1. Como bem referes, estas são a atitudes ” normais ” do bicho homem quando deparado com algo que a sua mente nao preparada tem reações destas, mas essas reações por vezes apenas servem para esconder algo que elas mesmo querem esconder.
    Quem não tem telhados de vidro ?
    Bonito artigo

    1. É verdade, as pessoas às vezes repugnam para se esconder, para esconder as suas próprias vontades. Mas cada um merece respeito, independentemente se concordamos ou não com o processo. É a vida de cada um.
      Como disse em cima:
      “Está na hora de transformar o preconceito em respeito”.

      Beijinhos!
      Obrigada pelo comentário.

  2. […] posts são sobre pessoas que habitam o mundo da Maria Amélia. Uma delas é o Hugo, um homem trans. Sim, porque a revolução do Hugo e a da Maria são a mesma: a revolução de género e que, neste […]

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
%d bloggers like this: