Quimioterapia: Efeitos secundários

Hoje falo dos efeitos secundários que a quimioterapia me provocou e como eu consegui dar-lhes a volta!

Começo já com o maior e mais verdadeiros dos clichés:

Cada corpo é um corpo e cada pessoa reage aos tratamentos de maneira diferente.

No meu caso eu tive todos os efeitos chamados de “normais” e mais uns tantos que vieram quase em efeito surpresa (bem desagradável diga-se de passagem!).

Mas nunca esquecer que esta parte chata dos efeitos é uma fase que passa, quando os tratamentos acabarem, por isso, nada de se entregarem aos malditos!

Então vamos lá falar de alguns dos mais chatos efeitos secundários, peço desculpa se for escrever muito, mas penso que seja importante partilhar dicas que me ajudaram.

 

Náuseas e vómitos

Eu tive desde o primeiro dia ao último, mas conheci quem nunca tivesse tido e ainda quem tivesse esporadicamente.

O que fazer?

Antes do tratamento pedir para que lhe seja administrado um medicado específico para os enjoos e pedir para tomar depois, seja em casa ou internado.

Se tiver a fazer quimioterapia em ambulatório evite estar perto de zonas ou pessoas com cheiros muito activos.

Coma devagar e pouco de cada vez, prefira alimentos secos sempre mornos ou frios. Evite alimentos picantes, com gordura ou açúcar. E não beba muitos líquidos à refeição.

Estes truques ajudaram-me a controlar um pouco os sucessivos enjoos que fui tendo.

Eu bebia chá de gengibre e sentia bons resultados.

Se vir que não consegue com nenhum truque, peça ajuda ao seu médico.

 

Diarreia e/ou prisão de ventre

Eu tive ambos!

E para os dois lá me foram dando truques diferentes.

 

Diarreia o que fazer?

Beber muitos líquidos para prevenir a desidratação.

Diminuir o consumo de fibras (cereais, fruta e vegetais crus) para ajudar a “prender” e apostar no arroz e batata.

Coma pouco e várias vezes ao dia.

Evite alimentos com muita gordura e picante.

E quem consuma leite, evitar lactose.

Se vir que não consegue controlar fale com o médico/enfermeira.

 

Prisão de ventre o que fazer?

Beber muita água (a água faz bem a tudo!), se não gostar muito de beber água ao normal, tente em chás.

Aqui vai depender, porque no meu caso eu não podia ingerir fruta crua, mas se o médico permitir que o faça, os kiwis ajudam bastante neste caso.

Aumentar o consumo de fibras (o contrário do que falei em cima na diarreia).

Se conseguirem fazer exercício físico ou pelo menos umas caminhadas, ajuda bastante.

Caso não consiga resolver, fale com médico/enfermeira para o ajudarem com laxantes.

 

Perda de peso:

Não vos digo a que peso cheguei, para não vos assustar, mas acreditem que foi mesmo muito baixo. É incrível a capacidade do nosso corpo aguentar tanto.

Aqui não havia grande truque, eu tinha rejeitado praticamente toda a comida e cheiros e o meu corpo começou a fraquejar.

O que fazer?

Comer e beber em quantidades mínimas várias vezes ao dia, pelo menos para não desidratar.

Insistam em beber água ou chás.

Falem com o médico para ajudar em suplementos.

 

Perda de apetite:

Comecei logo ao fim do primeiro tratamento a perder o apetite.

O que fazer?

Tentar comer o que se gosta muito e montar o prato de forma apelativa (pois os olhos também comem), porque se o apetite já é pouco e ainda levam com um prato de bacalhau esmagado com couves (caso não gostem muito) lá se vai o apetite para o galheiro.

No meu caso, eu também perdi o apetite porque tive aftas enormes na boca e doía muito a comer, neste caso, consulte rápido o médico e mantenha a boca desinfectada (como explico a seguir).

 

Aftas:

Eu costumo dizer que tive aftas de meio metro! Quase que sufocava com as malditas.

O que fazer?

Há vários elixires para bocejar para aliviar as aftas, eu confesso que água com sal ajudou-me muito, quando mais nenhum desses elixires ajudava.

Mas reforço: cada caso é um caso. Nesta altura só conseguia consumir líquidos, nem vale a pena forçar com alimentos que necessitem de mastigação porque só vai piorar.

E é para esquecer todo o tipo de alimentos picantes, salgados e ácidos.

 

Insónias:

Eu aqui vou ser curta e grossa, eu não dormia com medo de não acordar.

Uma certa altura cismei que a maioria dos companheiros que me acompanhavam nesta viagem, partiam de noite e achei que a noite era traiçoeira, então quis ficar sempre de plantão!

E isso trouxe-me tantos problemas…!

O que fazer?

Eu vou partilhar o que me diziam para fazer, mas que comigo por o medo ser maior que tudo nunca resultou: criar uma rotina de acordar e dormir sempre à mesma hora.

Tentar só ir para a cama quando fosse hora de dormir (esta para mim não dava mesmo, eu passava a maior parte do meu tempo na horizontal porque não me aguentava de pé).

E se o quadro fosse mesmo negro, pedir ao médico ajuda química para dormir.

Agora há uma coisa muito séria, o nosso corpo precisa de descansar para levar com a agressão da quimioterapia, não sejam parvos como eu e não fiquem de plantão.

Descobri que o cancro também dorme, por isso, não tenham medo da noite, durmam que ajuda muito.

 

Alteração de paladar:

Aqui não há muito a fazer, é aceitar e aprender os novos sabores.

Eu lembro-me que havia texturas que nem podia pensar nelas, como a da maçã cozida e entretanto havia outras que me dava muito prazer sentir o novo sabor, como o arroz branco só cozido com água (que devia ter cá um sabor…)!

Por isso, não se assustem que é normal.

 

Ansiedade:

“Tens que te controlar!”

Era a frase que mais ouvia no hospital das enfermeiras para os doentes.

Como se fosse fácil! Como se uma pessoinha não estivesse ali aterrada de medo de morrer! Ai ai ai!

Bom, mas a verdade é que temos mesmo que aprender a controlar a ansiedade.

No meu caso, ao início ainda não tinha companheiros de viagem então não sabia o que era ou não era normal de sentir e pensar, e confesso que ficava com o coração a dar mortais na véspera das análises para saber se tinha valores para fazer quimioterapia.

Mentiria se dissesse que essa ansiedade passa, não passa… até hoje, não passou!

Mas faz parte, podemos tentar conversar, partilhar, pensar positivo para diminuir os picos de ansiedade, mas ela nunca nos abandona.

 

Infecções/Febres/Dores de garganta:

Prato do dia! Para mim não foi normal, foi sempre mais que normal.

A quimioterapia baixa-nos o sistema imunitário e com isso ficamos à mercê de infecções.

O que fazer?

Aqui todos os truques vão dar ao hospital!

Mal o termómetro marque febre não hesitem em ir logo para o hospital.

Mas muito cuidado que quando o termómetro mostrar temperatura baixa ir na mesma, eu ia tendo um final pouco feliz num episódio de temperatura baixa.

Portanto fazer do termómetro um aliado, ir tirando a temperatura várias vezes ao dia para estarmos sempre em alerta.

E depois no hospital se nos administrarem antibióticos ou tivermos que levar transfusão de sangue e ou plaquetas, não fiquem tristes porque só nos vão ajudar.

 

Estes são alguns dos efeitos secundários dentro de um leque enorme, que podem acontecer quando fazemos quimioterapia.

Eu tive mais alguns (muitos) que não escrevi aqui, por isso, se tiver com algum efeito secundário que eu não tenha escrito em cima, não hesite em enviar-me um e-mail, pode ser que o possa ajudar!

 

5 Notas Importantes:

 

Quimioterapia

 

Confie e acredite em si, você nem imagina a força que tem.

 

Veja mais sobre este assunto aqui:

A Amélia e o Cancro

 

Qualquer questão que me queira fazer:

[email protected]

 

FORÇA!

 

29 Replies to “Quimioterapia: Efeitos secundários”

  1. Interessantíssimas as dicas. Tudo que a gente puder fazer para amemizar essa situação, melhor!

    1. É verdade, partilho a minha experiência para ajudar quem passa.
      Beijinhos querida Camila

  2. obrigada pelo comentário <3
    este post é sem dúvida excelente para ajudar as meninas que estão a passar por esta situação 🙂

    http://www.pinkie-love-forever.blogspot.com

    1. Obrigada pelo carinho.
      Beijinhos

  3. Tal e qual!
    (e nem vale a pena acrescentar mais, porque está tudo dito e na primeira pessoa!)
    Beijinho grande *

    1. Obrigada querida Pesseguinha 🙂

  4. Obrigada pelas dicas. São sempre importantes!

    1. Muito obrigada pelo comentário.

  5. A partilha de informação é mesmo muito importante. Obrigada por se dar a esse trabalho tão nobre.
    Beijinho

    1. Obrigada eu Adriana, pelo seu carinho e comentário.
      Beijinho

  6. Só quem passa, sabe o quão importante é partilhar este tipo de informações que muitas vezes são dificeis de obter.

    1. É verdade, por isso, partilho com a intenção de ajudar.
      Obrigada pelo comentário.

  7. Obrigada, vou partilhar porque também quero ajudar quem passa por isto.

    1. Muito obrigada Maria da Luz.

  8. Muito obrigada, estava mesmo a precisar destas dicas. Estou a fazer quimio e começo a ter algumas chatices. Deu me umas dicas preciosas, vou mandar lhe email. Obrigada

    1. FORÇA Sofia ❤️
      Mande o email que eu respondo 🙂
      Beijinhos

  9. Força muita força e o que lhe desejo.
    Meu pai acabou a quimioterapia em Janeiro e passou por tudo o que descreve foi muito doloroso para ele e para quem está a seu lado.
    Para as aftas no ipo dão um remédio só tem que pedir a medica e depois no dia do tratamento dão-lhe.
    Meu pai também tomou um po de lata receitado pela nutricionista do ipo este foi formidável mesmo durante o tratamento meu pai comia.
    a todas as pessoas que estão a passar por este tratamento eu desejo rapidas melhoras e tenham fe.Um grande bem haja

    1. Acredito que tenha sido doloroso para todos, espero que agora estejam mais calmas.
      Desejo as melhoras para o seu Pai e um grande beijinho para si.

  10. Para os enjôos minha mãe cozinhava com porta fechada e levava pra minha avó depois de feito. Ela mandava ver no prato =D
    Mas as dicas aqui são super válidas =D

    1. Pois, é um truque bom, para quem enjoa só de imaginar a cor dos alimentos quando mais os cheiros (eu enjoei a esse nível) é um bom truque! 😉
      Beijinhos❤️

  11. Obrigada pela partilha. Irei iniciar esse caminho e os receios são muitos. Cada experiência é uma ajuda.

    1. Querida Sandra, muita força ❤️
      Se precisar de alguma coisa, escreva-me!
      E acredite sempre que vai correr bem, porque vai!
      É só uma fase… e daqui nada, já passou.
      FORÇA❤️
      (vá me dando notícias, a partir de hoje, estará no meu pensamento e enviarei energia positiva).

  12. Muito obrigada <3
    Eu sei o quão já ajudaste com as tuas partilhas.
    Continua pf, o mundo é um sítio muito mais giro contigo.

    1. OBRIGADA pelo carinho ❤️
      Enquanto sentir que ajudo, irei continuar.
      Beijinhos

  13. karol2golfinhos says: Responder

    Eu tive um pouco de mais sorte. Não tive efeitos secundários. Só na primeira sessão da quimio tive um breve enjoo. Comia bem. Muito bem. Emagreci normalmente. Mas engraçado foi que antes de detectarem meu tumor na mama…Eu estava supostamente gordinha. Mas é que nunca fui supostamente gordinha. Dormia tranquilo, mas também como a Maria tinha lá minhas dúvidas. ..será que iria acordar? Caminhou td bem. No meio de td isto também apareceu outra pedra no caminho. Aliás, outro tumor. No pulmao. Xiiii. ..pensei que iria ser desta vez. Mas a minha médica disse-me que era primário, e o melhor dos tumor dis tumores de pulmão ( desconhecia em completo esta possibilidade). Passei por três cirurgias em um ano. Uma quimio. Uma radio. É mesmo incrível o que um corpo suporta. Mas a vontade de vencer era tão grande e o alto astral que consegui manter, além de um apoio incondicional de colegas de trabalho e de amigos, ajudaram-me em demasia
    E ainda bem. Eles foram tão importantes para evitar tais efeitos goo a água que bebia em grandes doses durante esta história.

    1. Karol❤️
      Ainda bem que correu tudo bem… que caminhada hein!
      Parabéns por nunca ter desistido.
      Obrigada pelo comentário.
      Beijinhos
      ❤️

  14. A minha mãe fez 7 meses de quimio, terminou já há 8 meses… ficou com sensibilidade na planta dos pés que lhe dá muitas dores a andar… uns dias pior que outros, mas está sempre lá. Ela conv3nceu-se de que aquilo já não vai passar, mas eu não! Sabes de algum truque ou dica que possa ajudar neste caso? Obrigada… e Muito Obrigada pela tua partilha, é Muito Importante para quem também tem que viver um processo destes… <3

    1. Querida Sara!
      Eu não tive esse efeito secundário, mas tive parecido nas mãos e acabou por passar.
      Tentaram com neurologista?
      O que fiz nas minhas mãos foi insistir (com ginástica e movimentos que inventei na altura)e contrariar algum formigueiro que também tinha.
      Espero que tudo se resolva.
      Beijinhos <3

      1. Obrigada, Querida Amélia… Neurologista não me passou pela cabeça, vou investigar! 🙂 Obrigada… <3

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: