I’m feeling | P#ta que pariu o médico

Na semana passada vivi um episódio que nunca me passou pela cabeça viver.

Uso óculos há anos e vejo mal desde sempre.

É verdade que piorou com os tratamentos e com a doença em si… e também com a idade, como toda a gente!

Tenho os meus médicos quase todos concentrados no mesmo centro clínico, o que me dá imenso jeito, visto que volta não volta tenho que andar por lá.

E foi assim, que decidi marcar uma consulta de oftalmologia nesse centro clínico, com um médico atribuído ao calhas aquando da marcação.

Como tinha dentista a seguir (e quem me lê sabe o medoooo que tenho daquela cadeira) levei a minha mãe comigo.

Entrei no consultório e deparei-me com um senhor (o médico) na casa dos 70 anos, pouco simpático (nem cumprimentou), mas com um ar muito profissional e focado.

Em 5 minutos expliquei o meu processo clínico e inclusivamente passei-lhe para as mãos, alguns dos exames que tinha feito na última consulta de oftalmologia (que tinha sido em 2013), para ele estar “por dentro”.

E pronto… sentei-me e lá me pôs a ver as letras… letras essas que de facto, já são difíceis de ver, principalmente focar.

Ele rapidamente vem ao meu encontro, manda-me um foco para os olhos, olha-me para dentro dos mesmo com uma lupa, agarra nos meus exames de 2013 e diz:

“A sua doença está no cérebro. Você não tem nada dos olhos, o seu problema é no cérebro…”

Eu nem entendi bem…

A minha Mãe em estado de choque…

E eu:

“Desculpe, mas não entendi…”

Ele estava a prescrever-me exames, olhou-me nos olhos, e nos olhos da minha mãe e disse que eu tinha cancro no cérebro…

Fizemos um silêncio, daqueles silêncios que não sei dizer se foram 2 segundos ou 2 minutos…

Eu só pensava que estava num filme… não podia ser…

A minha Mãe ainda perguntou (em lágrimas) quais as probabilidades de não ser, ao qual ele usou esta frase:

“Eu não tenho qualquer dúvida minha senhora…”

E de repente o mundo desabou…

Eu fui levada para dentro para fazer exames…

A minha Mãe a passar mal na sala de espera, enquanto chorava compulsivamente…

Eu só pensava que tinha ido somente trocar umas lentes e acabo com um diagnóstico de cancro no cérebro nas mãos…

Tentei manter a calma, tentei colaborar o máximo nos exames…

Mas estava aterrada de medo…

A técnica que me fez os exames, disse-me que já estava por dentro do diagnóstico e que e facto, nestes exames que ela me estava a fazer, confirmava-se que tinha um problema cerebral…

Ela falava no diagnóstico com a mesma certeza que o próprio médico, sem qualquer dúvidas do mesmo…

E o inferno começou…

Até a naturopata que fui no dia seguinte me encontrou uma inflamação no cérebro…

Tudo a ajudar…

Eu só pensava que precisava do meu médico, aquele que não me mente, nem falha, que eu confio (este médico que falei aqui).

De quinta-feira até segunda-feira vivi um perfeito inferno.

Eu e a minha família…

Tentámos disfarçar… mas foi tão difícil…

Tinha consulta marcada para terça-feira, mas na segunda-feira passei-me e consegui encontrar o meu médico e fui ter com ele à clínica.

Fui sozinha.

Cheia de medo.

Decidi que iria dar o peito às balas sozinha e que conseguiria isso e muito mais.

Cheguei a tremer… contei-lhe tudo e a reacção dele foi tão má como a minha…

De imediato levou-me pela mão (literalmente) para fazer uma Ressonância Magnética ao cérebro… picaram-me mais de 20 vezes para me darem contraste (porque a quimioterapia levou-me as veias até hoje)… foi 1h30 de exame… parecia que não tinha fim…

Acabou!

Corri para o gabinete do meu médico para saber resultados…

Demorou tanto tempo…

Tive tanto medo. Nunca tive tanto medo.

Chorei… Rezei… Pensei…

Por momentos pensei que não tinha sido boa ideia ter ido sozinha, precisa de um ombro, de uma mão… de um abraço…

Tentei relaxar… mas era impossível…

E a porta abriu-se e vi um sorriso…

Aquele sorriso que já tinha visto aqui.

Aquele sorriso que me deixou as lágrimas a correr de alívio…

“Não tens nada rapariga! Não podias ter! Como é que alguém te faz isso?? Logo a ti que já foste e vieste tanta vez do inferno?”

Agora mais a frio, digo que nunca acreditei naquele médico, apesar de ser reconhecido como uma figura de respeito na área dele.

Eu não me sentia doente, eu conheço muito bem o meu corpo.

Eu tinha era muito medo e era impossível não ser consumida com esse medo.

Tentem meterem-se nos meus sapatinhos e imaginem um médico dizer-vos cheio de certezas absolutas que têm um cancro cerebral pelo menos desde 2013 e digam-me se conseguiam ter calma?

Se conseguirem isso, vendam essa calma em frascos que vão ganhar milhões!

Como dizem os meus amigos brasileiros que tanto gosto:

“Pimenta no cu dos outros é refresco!”

Mas também digo que, não é assim que se fazem as coisas, este médico nunca me poderia ter dado um diagnóstico destes assim do pé para a mão, carregado de frieza como se tivesse a dizer que tinha uma constipação.

A maioria das pessoas (incluindo os médicos) acham que só porque uma pessoa é cancerosna há 10 anos, tem que aguentar qualquer notícia dada com esta frieza! Que ficamos blindados… mas não ficamos. E sentimos as coisas como qualquer pessoa. E temos medos, como qualquer pessoa.

Este médico, sabendo que tenho o “meu” médico, aquele que é o meu médico oficial no mesmo centro clínico, bastava descer 2 andares e falava com ele, nunca em momento algum, seria ele a opinar desta forma desumana.

Foi cruel, pouco profissional, pouco ético, pouco humano… pouco tudo.

A pedido do meu médico, não irei perder nem mais uma gota de energia com este senhor oftalmologista, porque ele garantiu-me que ele próprio o fará.

Mais uma vez sou grata por ter este médico na minha vida.

Mas… tive 4 dias inacreditáveis… e fui inundada por um medo que não conhecia.

Foi tudo tão desnecessário…

Já sabia que era capaz de matar dragões enormes, mas pensava que tinha perdido a força com o passar dos anos… mas ter ido sozinha, ter estado aquelas horas todas sozinha a tremer e a morrer de medo, deu-me uma alavanca de que sou muito capaz de enfrentar seja o que for.

 

Para todos os meus amigos que acharam estranho eu andar caladinha, sem responder a mensagens e telefonemas peço desculpa… mas não podia mentir-vos, mas também não vos quis preocupar… preferi esperar pela consulta.

 

Créditos fotografia: josealbafotos

21 Replies to “I’m feeling | P#ta que pariu o médico”

  1. Alice Alexandre says: Responder

    Não te conheço, mas depois de ler esta tua “desaventura”… já agora, peço desculpa por te tratar por tu, mas conseguiste arrancar-me umas lágrimas, eu, que ando às turras com o cancro, embora apenas como “espetadora”, e quase que tive a impressão que estava ao teu lado quando foste ver o teu médico, à espera de uma resposta… e posso dizer-te uma coisa: és capaz de matar dragões, daqueles beeeeeeeem grandes! Acredita! :*

    1. Que querida Alice!❤️ Obrigada pelo carinho! Confesso que estava aterrorizada de medo como nunca estive… Mas já passou ? Espero que desse lado as turras passem rápido e que corra tudo bem.
      Beijinhos ❤️

  2. Maria Fernanda Carvalho says: Responder

    Pois uma notícia a esse nível deixa qualquer pessoa de rastos, e ainda por cima dita pelo médico de oftalmologia, e da certeza que foi dita,. Desejo muita força e nunca percas a esperança, tu és forte , coitada da Mãe ao ouvir aquelas palavras, tudo desabou. muita força querida,beijinhos

    1. Beijinhos e obrigada ❤️

  3. Sinceramente estou chocada…
    Nem acredito…
    Tens tanta força e ainda bem!
    Beijinho grande <3

    1. Obrigada pelo carinho.
      Beijinhos ❤️

  4. p*** que pariu esse médico

    1. É mesmo Teresa.
      Beijinhos ❤️

  5. Inácio Alves Carvalho says: Responder

    Foi deveras arrasador para ti e para quem te acompanhou, médicos destes são bem dispensados, se não sabem não devem dar palpites que neste caso eram certezas absolutas, a dor é sempre de quem a sente, eles falam na hora e logo depois vão beber um copo, nunca mais se lembram da asneira que acabam de fazer, admiro muito a tua força, a tua garra e acima de tudo a perseverança que havia nisto tudo um erro, um erro muito grave de um sucateiro com aquela idade, infelizmente ainda se encontram destes médicos por este mundo fora, é uma pena porque nós devíamos acreditar nestas pessoas que estudaram para ajudar as pessoas e não para aterrorizá-las.Costuma dizer-se que depois da tempestade vem a bonança e será esta bonança que te vai ajudar a ultrapassar este pesadelo que durou 4 longos dias.Que sejas feliz para que nós também possamos ser felizes.

    1. É mesmo isso! ❤️
      Beijinhos

  6. Maria Fernanda Carvalho says: Responder

    Não posso deixar passar por agradecer a tua coragem de ires sózinha!!!sofreres só esses momentos horríveis!!! Desejo tudo de bom, pois mereces ser feliz, já passaste muito na tua vida e tão jovem.

    1. Há momentos na nossa vida que precisamos de medir a nossa força e coragem e eu vi que estou no pico da minha, ainda que aterrada de medo (não escondo), mas decidi enfrentar sozinha.
      Beijinhos ❤️

  7. Só me ocorre o seguinte: “foda-se lá o médico. Que ser humano é este?!”…
    Graças a Deus que não era nada, mas nos piores momentos vamos realmente buscar forças sei lá onde para aguentar os pontapés que por vezes a vida nos dá…!
    Beijinho
    MR?
    @sagadaemigracao

    1. És sempre tão querida ?

  8. Olá, guerreira boa tarde por mais mais que tentasse nunca me conseguia neste momento colocar no teu lugar, esse momento horrível que passas te e tu tua mãe sim que se teu coração doeu o dela deus me livre,… tenho lido muito atentamente o Destino de Maria Amélia, tem me dado a conhecer um mundo que jamais pensei existir, o que me tem feito sentir pequenino, por vezes emotivo, e admirador de Maria Amélia. tenho estado aqui quieto sempre no silencio olhando e lendo, mas hoje não pude aguentar, esse Dr. com idade, sem idade, com experiência, ou não não tinha esse direito, isso não se faz e duro de mais, beijinho pata ti.GUERREIRA

    1. Um beijinhos muito grande e obrigada pelo carinho ❤️

  9. Comecámos a ler a temer muito. Pensámos que irias ser forte para superar tudo outra vez. Fomos muito egoístas e a par de pensar que era muito, muito injusto sofreres tanto, não conseguimos deixar de pensar que não te queremos perder agora que te achámos para as nossas vidas!
    Ficámos muito aliviados e felizes com o final. Mas diga-se de passagem que extremamente revoltados. Esse médico devia ser tudo menos isso!!!!
    Um beijinho enooooooooooorme Amélie, nossa dragoa! 😛

    1. Oh pah vocês são tão mas tão queridos ❤️

  10. Estou chocada com a frieza e a falta de tato (e profissionalismo) desse oftalmologista. Que absurdo Maria Amélia! E que bom saber que você está bem e que não te passa nada!!! <3

    1. É verdade, foi mesmo um absurdo!
      Beijinhos querida ❤️

  11. […] se bem se lembram (aqui) as coisas não correram como eu imaginei e acabei por voltar à loja umas semanas mais […]

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: