Pessoas com mentes pequenas

Volta e vira toco neste tema aqui no blogue: Pessoas com mentes pequenas!

As pessoas. As pessoas com todos os seus se’s e quê’s.

Se por um lado podem ser do mais fantástico e proporcionarem-nos momentos maravilhosos, por outro, podem-nos estragar a vidinha num abrir e fechar de olhos.

Ontem estava numa reunião e conheci uma rapariga que a propósito de um tema em cima da mesa, deu o exemplo da vida dela.

Toda a vida foi “pisada” por ser considerada diferente.

E lá vamos nós ao cliché máximo: diferente para uns, não significa diferente para todos.

E podia entrar aqui na questão do respeito, mas isso, seria um texto sem fim!

A mãe queria que ela fosse médica.

O pai queria que tivesse uma profissão à séria (??).

Os 3 irmãos eram engenheiros.

A irmã… médica.

E ela quis envergar pelas Artes/Design.

Pronto, deu merda!

Pisaram-na durante tanto, mas tanto tempo, que desenvolveu uma série de reações que se transformaram em patologias. Depressão, ansiedades, fobias.

Tudo porque não a quiseram aceitar, nem apoiar, nem amar. E, sobretudo, respeitar.

Hoje ela consegue ver isso, mas há 15 anos atrás não foi capaz e sentia-se todos os dias um lixo, dentro de uma família (e amigos da família) que a desprezavam.

Até a puta da prima (enfermeira) conseguia infernizar-lhe a vida porque dizia que ela nunca iria ser ninguém. Nem iria conseguir ter uma casa. Nenhum homem haveria de lhe pegar. Enfim, o clássico, quem não tem ou conhece aquele género de prima ressabiada??

Ao que parece, hoje os irmãos, a irmã e a prima são todos casados, com rebanhos de filhos, com casas no campo, cães, carros e férias no Algarve. Continuam a ser engenheiros, médicos e enfermeiros. Se são felizes, segundo ela, é questionável…

Mas ela! Ela é feliz para caraças!

Safou-se daquela gente pequena de mente conturbada!

Estudou, fez-se à vida, para “fugir” dessa loucura que a rodeava, entrou no mercado internacional e é muito reconhecida além fronteiras pelo trabalho que faz. Tem amigos. Namorado. Uma cadela e um gato. Vive numa capital europeia e fala correctamente cinco línguas e conhece mais de metade do mundo. Tudo a trabalho.

Mas… se ela permitir, eles ainda a pisam.

Um dos irmãos a última vez que falou com ela, perguntou-lhe se ela ainda andava a brincar aos bonecos…

Quando não se actua com Amor, não se consegue valorizar o que os outros fazem.

 

Créditos da fotografia: Matthew Henry

 

Podes gostar de ler:

Porque é que a maior parte das pessoas morre aos 25 anos

Há pessoas que não têm mesmo qualquer tipo de noção

Nem todas as pessoas têm que viver no pico da felicidade

 

Já me segues no Facebook e no Instagram? ♥

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: