O Cancro e o Verão

Como já perceberam, ultimamente quando falo neste tema (cancro) é para responder a algumas pessoas que me escrevem.

E hoje não é excepção.

Tenho recebido alguns emails e mensagens sobre o cancro e o verão.

Acabámos de entrar em Agosto e para muitas pessoas é altura de férias.

Então vou partilhar como foi comigo.

Excepto nos casos mais específicos, onde o sol é completamente proibido e as idas à praia desaconselhadas, os cuidados a ter com o sol e com a praia são aqueles que todas as pessoas deveriam ter.

No meu caso (e é o único que posso falar) é assim!

É ter aqueles cuidados básicos, mas levar à séria sem facilitar.

->Protector solar SEMPRE.

Atenção que a proteção começa em casa. A primeira camada do protector solar é colocado em casa e depois ir retocando ao longo do dia.

Cuidado com protectores solares dos anos anteriores, já não fazem o efeito pretendido.

Não esquecer o cabelo!

->Evitar as horas perigosas do sol.

Em tempos falei aqui no blogue sobre protectores solares (podem ver: aqui, aquiaqui)

E nunca confundam protectores solares com bronzeadores, aqui o objectivo é mesmo proteger a pele, por isso, comprem sempre protectores solares.

->Manter sempre a hidratação.

Sa preferência a água e chás, evitando as bebidas alcoólicas.

Mas é obrigatório manter a hidratação.

->Evitar choques térmicos ao entrar na água.

O corpo ainda está em convalescença dos tratamentos, não precisa que lhe demos ainda mais uma chatice, por isso, sempre que formos a banhos, é entrar com calma e ir molhando o corpo devagar.

Muito cuidado com as horas da digestão!

->Usar chapéus e óculos de sol.

Eu quando comecei a fazer praia depois dos tratamentos, o cabelo já tinha uns 5/6cm, mas ainda assim, estive sempre de chapéu. Caso ainda tenham o cabelo muito curto, não abdiquem do chapéu e se for necessário coloquem protector na cabeça, para não queimarem o couro cabeludo.

A mim para além das sobrancelhas, também me caíram as pestanas, o que me obrigava a andar sempre de óculos escuros. As pestanas funcionam como uma valente cortina que nos defende dos raios do sol, por isso, usem e abusem dos óculos de sol.

->Fazer da sombra um aliado.

Levar um livro ou uma revista e sentar debaixo do chapéu é uma maravilha, nem sempre precisamos de estar a “torrar” ao sol.

-> Radioterapia:

Quem fez radioterapia (como eu) tem que ter mesmo muito cuidado com o sol. No meu caso eu não fiquei com queimaduras mas caso tenham ficado, a exposição ao sol é totalmente desaconselhada.

Uma das chatices que a radioterapia me deixou foi a pele dos lábios muito sensível, o que me obriga a andar sempre a colocar batom para hidratar. Na praia, uso sempre mas sempre, protector especifico para lábios no factor mais alto.

-> Cicatrizes:

Se fizeram cirurgias (como eu) coloquem sempre protecção total (ecran total) nas cicatrizes, o sol é o pior inimigo delas. E obviamente evitem a exposição ao sol na zona das cicatrizes.

 

Agora vou contar-vos um segredo…

Quando comecei a radioterapia, um dos técnicos disse-me que eu nunca mais poderia apanhar sol. Até hoje, não entendi se isso teve piada para ele, mas eu não achei piada nenhuma.

Aliás, não só não teve piada, como me arrasou psicologicamente, porque para mim a praia é um verdadeiro prazer e de repente ver esse prazer retirado, deixou-me triste.

Quando se deu a primeira ida à praia foi um reboliço de emoções.

Nem dormi na véspera.

Todas as vezes que eu tinha ido à praia durante o tratamento, tinha sido para ver o mar e para me dar forças.

Sempre totalmente protegida do frio, do sol, do que fosse e sempre emparada em braços.

Então, o regresso à praia foi totalmente emotivo e até assustador.

O regresso é assustador, e eu sei que desse lado quem já passou por isto, entende-me bem.

Então barrei-me com protector factor máximo (ecran total), vesti t’shirt (e não a tirei na praia) e usei um boné, era vermelho ainda me lembro.

Cheguei por volta das 8h e pouco e às 10h estava retida de baixo do chapéu cheia de medo do sol e cheia de medo de… viver.

O regresso é tramado… um dia deste vou falar sobre isso.

Mas foi bom, foi muito bom sentir a areia, o mar a bater-me nos pés…

O sentir que se está viva e pronta para viver é talvez o sentimento mais extraordinário que se possa ter…

 

E se ainda não podem fazer praia este ano, não desanimem, o verão volta para o ano e o mar estará sempre com aquele azul espectacular à vossa espera.

A praia também é linda ao fim do dia, não fiquem tristes por não poderem apanhar sol, lembrem-se que há poucas coisas tão lindas de se assistir com o pôr-do-sol.

 

E não se esqueçam que não estão sozinhos. ♥

Escrevam-me a dizer sobre que temas gostariam que eu partilhasse a minha experiência.

 

Mais artigos sobre este tema aqui:

Cancro

 

 

Créditos da fotografia: Danist Soh

2 Replies to “O Cancro e o Verão”

  1. Tão lindo você compartilhar a sua experiência com a gente Maria Amélia! Emocionante. Gostei especialmente da parte em que você diz que o mar vai estar sempre por lá e que o verão sempre retorna. <3

    1. ❤️ obrigada pelo carinho querida Camila ?

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: