Travel | As Minhas Preocupações Pré-Viagem

Como tenho partilhado, como uma das minhas grandes paixões é viajar, tenho recebido alguns e-mails sobre esse tema.

Uma das coisas que me perguntam é exactamente como me preparo para a próxima viagem que vou fazer.

A minha vida tem entrado num ritmo frenético no que toca a viagens.

E ainda bem! Porque é das coisas que mais me deixa feliz.

A partir do momento que escolho o destino, que pesquiso preços de voos e hotéis ou apartamentos e decido comprar, então começo a preparar a viagem.

Então, aqui ficam as minhas “preocupações” no pré-viagem!

 

DOCUMENTOS

Vejo se tenho tudo dentro da data de validade: Cartão do cidadão, Passaporte (se for o caso), Cartão de Crédito.

Apesar de levar tudo em formato electrónico, eu sou aquela que também levo em papel. Podem-me chamar de retrógrada, o que quiserem! Mas, a verdade é essa! Levo sempre uma cópia na mala de mão com todos os documentos da viagem!

Trato do visto caso seja necessário.

 

SEGURO DE SAÚDE

Não levanto voo sem ter seguro para a viagem. Certifico-me bem da apólice e cobertura. E, claro, vai sempre uma cópia comigo!

 

CHECK-IN / LUGAR DE AVIÃO

Normalmente assim que abre a hora do check-in online tento sempre fazer, para conseguir escolher os lugares que mais prefiro. Por exemplo, não gosto de ficar perto das casas de banho quando faço voos longos, senão estou sempre a levar com a luz da casa-de-banho, sempre que alguém lá vai.

Depois prefiro sempre os lugares ou à janela ou no do corredor, no meio não!

Dizem que os lugares perto das asas sentem menos a turbulência, por isso, prefiro esses.

Não gosto dos lugares do fundo, porque a comida demora muito a chegar, às vezes já não tem as opções todas e as vendas de free shop por vezes também já chegam muito esmifradas.

Caso viaje com escalas apertadas ou com alguma coisa para fazer no destino em cima da hora de chegada, tento ficar perto das portas, para ser das primeiras a sair.

 

DINHEIRO

Aqui depende muito do destino. Mas vejo sempre o valor de conversão da moeda local para ver o que é melhor. Tento não viajar com muito dinheiro “vivo”, mas caso leve muito dinheiro comigo, nunca vai todo junto.

Atenção em viagens para os Estados Unidos da América, o valor máximo por família (e não por pessoa) é de 10 mil dólares. (esta informação foi-me dada na última viagem a NY, mas confirmem, porque estas coisas estão sempre a mudar)

Como não sou a melhor pessoa do mundo em contas, tenho uma aplicação no telemóvel com as moedas de cada país e respectiva conversão, que me ajuda muito quando ando às compras.

 

ORÇAMENTOS

Dentro das minhas pesquisas também costumo ver o custo de vida, para ter uma noção do que se gasta em média por dia naquela cidade. Assim estabeleço um valor/dia para comer, transportes e compras. Porque a dormida já está paga.

Se sei que vou comprar uma coisa específica, como um computador ou telemóvel (cuidado com a alfandega, informem-se bem disso em cada país), esse dinheiro já vai de parte.

Mas para fazer as contas por alto, estabeleço um valor por dia para comer. Dá para organizar um almoço num sítio mais rápido, económico e prático para depois aproveitar num jantar mais tranquilo e com iguarias locais. Mas convém organizar bem antes, senão lá se vai o budget todo!

E atenção que comer rápido, económico e prático não significa comer fast food, significa que temos que fazer uma “reperage” antes e descobrir corner’s especiais e bem bons! E olhem que se gasta MUITO dinheiro a comer em alguns países!

Costumo passar os olhos pelo TripAdvisor e ver o que se diz por lá sobre os restaurantes locais.

 

ROTEIROS

Preparo sempre roteiros do destino para onde vá. Mais que não seja, para conhecer um pouco do local, não gosto de chegar “às escuras”. Gosto de saber um pouco sobre a história do país/cidade e normalmente divido os roteiros entre as atrações turísticas onde vão todas as pessoas e tento procurar sítios para “viver” a cidade. Esplanadas para beber um vinho tinto, praças para observar como vivem os habitantes locais, sítios para ver o pôr-do-sol… é provável que passe mais tempo a viver o local do que a picar ponto nas atrações turísticas.

 

COMPRAS

Sempre que viajo para um local que saiba que tem este ou aquele produto que não se vende cá, ou que é mais barato lá, faço um “Google Maps” da loja em questão e fica como visita obrigatória. Normalmente isto é mais para produtos de pele, alguma maquilhagem, roupa, decoração e produtos de papelaria. Mas já levo preparado as moradas, referências de produtos e mais ou menos o que quero, para evitar estar horas nas compras.

 

MALA

Escolho o tamanho da mala e quantas malas levo consoante o destino que vá e os dias. Depois faço listas com tudo o que quero levar. Confesso que já há algum tempo que não levo a mala a abarrotar, percebi que isso era um grande erro! Até porque tenho bem na memória que tive que comprar uma mala em NY para trazer as compras! Por isso, hoje em dia, faço as malas com muito bom senso.

Cuidado com os pesos e tamanhos das bagagens, é melhor confirmarem nos sites da respectiva companhia aérea que voarem. Em tempos, fiz aqui no blogue um post sobre Dimensões da Bagagem de Cabine.

Faço listas de roupa, de maquilhagem e cremes, calçado, medicamentos e de material tech, para ser mais fácil de organizar tudo e tentar não esquecer de quase nada!

Decido bem sobre o que vai no porão e o que vai comigo na mala de mão dentro do avião.

Em outro post, falarei de como faço as malas. Já vos contei que sou a chata da organização não já? Então imagem como sou a fazer malas! 🙂

Eu guardo sempre estas listas até ao regresso, porque caso tenha o azar de ficar sem a mala, já tenho uma lista para apresentar junto da companhia aérea.

 

MEDICAMENTOS

Já me safaram de tanta coisa que não deixo a minha bolsa de medicamentos para trás por nada deste mundo. Caso viaje para Europa ou EUA, levo o kit mínimo mas se for por exemplo para África ou Ásia é um carregamento à séria.

Também aqui faço uma lista e confiro as datas de validade.

 

TRANSPORTES

Normalmente ando a conhecer as cidades de transportes públicos ou a pé. Só ando de Uber (em último caso táxi) em situações pontais, como idas para o aeroporto ou de noite em sítios mais perigosos.

Por isso, levo sempre que possível, mapas de redes de transportes de metro, autocarro e comboio. E também me informo antes de ir dos preços dos bilhetes, para perceber quais compensam mais, porque há sempre (ou quase sempre dependendo do destino) bilhetes do dia, ou bilhetes combinados de metro com autocarro, por isso, investigo sempre para chegar e comprar o que mais me compensar.

Cuidado com os passeios turísticos locais, normalmente é uma “chulice”!

 

WI-FI

Não por ser a pessoa mais viciada do mundo das redes sociais (até porque não sou), mas tento sempre saber onde há free wifi.

Para aceder ao Google Maps, ao Whatsapp caso seja preciso alguma coisa, ao Google, ao TripAdvisor, ao mail e afins. Tento sempre perceber a cobertura de internet free na cidade, mais que não seja procuro por McDonald’s ou Starbucks na zona. Já me safaram tantas vezes! Abençoados!

 

CONTACTOS

Isto vai parecer coisa de obcecada e se calhar até sou mesmo, mas como já passei por várias situações muito chatas no estrangeiro, vale mais prevenir do que remediar.

Tento levar alguns contactos importantes de cada destino, saber o número de emergência, o hospital mais próximo da zona onde vou estar, número da polícia e principalmente, contactos da Embaixada ou Consulado de Portugal nesse país.

 

METEOROLOGIA

Sou muto chata com a meteorologia! Mesmo muito chata! Quando começam a faltar poucos dias começo a fazer do AccuWeather o meu melhor amigo e ando sempre a controlar para fazer as malas.

 

LOOK VIAGEM

E por último penso também no que vou levar vestido durante a viagem. Depende do clima que esteja aqui e que esteja no destino. Lembrando sempre que o avião tem a temperatura muito baixa e que tenho que me proteger durante o voo. Normalmente viajo sempre com roupa confortável e ténis.

Quanto à carteira (ou mala que levo comigo), já passei por várias fases! Já preferi de tira-colo em tamanho pequeno, só com os mínimos olímpicos e o resto ia na mala com rodinhas. Depois já optei por mochila. Agora penso que a melhor carteira é de ombro (alças). Temos que mostrar os documentos mil vezes e assim tenho tudo à mão, sem ter que tirar coisas da mochila ou de ter que enfiar tetricamente na mala pequena de tira-colo. E cabe logo o iPad e é mais fácil quando passo no controlo. Quando fizer um post sobre malas, falarei disso também.

 

E é isto!

Como vêm sou muito descontraída quando viajo! SQN

Não! Não sou!

Tenho que ter tudo organizado, senão ficou louca.

E mesmo assim, ainda fico!

 

 

Créditos da fotografia de destaque: Rawpixel

 

Já me segues no Facebook e no Instagram? ♥

GuardarGuardarGuardarGuardar

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: