Cinema | Lion – A Longa Estrada para Casa

Lion é um filme muito forte.

Quando acabou o filme, a primeira frase que eu disse foi:

“O pior deste filme, é ser inspirado numa história verídica.”

Baseado na história real do indiano Saroo Brierley, autor do romance autobiográfico “A Long Way Home”.

Por vezes, a realidade é largamente mais dura que a ficção. Mais que não seja, por efectivamente ser real.

A história anda à volta de Saroo, que, com apenas 5 anos, se perdeu para sempre da sua família e, após longos momentos de angústia, medo e coragem foi adoptado e por uma família da Tasmânia, para onde foi viver.

Quando Saroo, já um jovem-adulto a viver na Austrália, percebe que o seu passado lhe deixou uma ferida muito grande de saudades e amor pela sua família, já não consegue viver mais assim. Mas pouco ou nada sabe sobre eles. A partir daí começa uma viagem desesperante entre memórias e o Google Earth, na busca da sua terra natal, que apenas sabe que poderá estar a 1500 km de Calcutá.

O que sabia de onde tinha vindo era muito pouco. O nome (que depois percebeu que até isso estava mal disto, não era Saroo mas sim Sheru), não sabia o nome da mãe, chamava-lhe apenas “mãe”, também o nome que sabia da terra natal, não seria bem assim e sabia o nome do irmão, que era a sua maior referência.

É um filme esmagadoramente intenso realizado por Garth Davis. Apesar de não ter ganho, contou com a nomeação de Melhor Filme de Drama nos Globos de Ouro e está nomeado para Melhor Filme nos Óscares 2017.

Conta com um elenco de luxo, começando pelo pequeno Saroo, o Sunny Pawar. É simplesmente brutal a interpretação dele.

Depois, Dev Patel interpreta o Saroo adulto e também ele irrepreensível e contou com a nomeação para Melhor Actor Secundário nos Globos de Ouro, assim como para os Óscares 2017.

Nicole Kidman, a mãe adoptiva em todos os momentos que entra, brilha e que talvez por isso, mereceu a nomeação para Melhor Actriz Secundária nos Globos de Ouro e nos Óscares 2017.

Já a Rooney Mara, a namorada de Saroo, talvez porque eu embirre um pouco com ela, não aquece nem arrefece.

David Wenham, o pai adoptivo também tem bons momentos.

Para além do elenco de luxo, as “locations” do filme são de uma realidade tão crua que chega a arrepiar, não podia estar mais despido de adereços (falo das momentos rodados na Índia). O guarda-roupa é marcado pelas roupas usadas na Índia (os mantos, as cores fortes) e a transformação da Nicole numa autêntica australiana dos anos 80 (e incluo aqui o cabelo e a maquilhagem).

Quanto à banda sonora, que também mereceu uma nomeação nos Globos de Ouro, para além dos temas de Dustin O’Halloran & Hauschka também a Sia nos brinda com mais um tema de luxo: “Never Give Up”.

Mas se tivesse que escolher o melhor dos melhores deste filme é sem dúvida a expressão no olhar do pequeno Saroo. Aquele olhar.

E quanto aos Oscares 2017, Lion está nomeado para:

Melhor Filme

Melhor Actor Secundário

Melhor Actriz Secundária

Melhor Argumento Adaptado

Melhor Fotografia

Melhor Banda Sonora

 

Podes gostar de ler mais sobre cinema aqui:

Cinema

 

Já me segues no Facebook e no Instagram? ♥

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: