O Amor é sempre o privilegiado

Para o Amor está sempre guardado o melhor.

Nunca tem culpa.

Vence sempre.

Tudo por e com Amor.

Que sorte tem o Amor.

Por tudo e por nada.

Porque já dizia Camões, que:

“O amor é fogo que arde sem se ver.

É ferida que dói e não se sente.

É um contentamento descontente.

É dor que desatina sem doer.”

Pois é.

O Amor não tem cor, nem cheiro, nem textura, nem som.

Pensando melhor, até que tem.

Tem a melhor das cores, aquela cor que vai com tudo.

Aquela cor que fica a mais bonita nos dias que o coração transborda Amor e a mais feia nos dias que ficamos vazios.

Cheira a campos de flores, a torradas e café com leite acabados de fazer e a mar.

É macio, quase veludo, mas melhor.

Mais leve que a mais pura das sedas.

E ouve-se tão bem o Amor.

Escolhemos sempre as melhores bandas sonoras para o Amor.

Até dizem que é uma ferida que não dói. É a única ferida que não dói.

O Amor é uma dor boa, talvez a única dor boa.

É Verão, mas também é Inverno.

É o abraço, o aconchego, o beijo e o amasso.

É o ombro e o porto seguro.

É o que alimenta, transporta e guia.

É o que transforma.

É o que vence tudo.

E é por isso que o Amor é um privilegiado, porque merece.

 

Créditos da fotografia: Jon Tyson

 

Podes gostar de ler:

Amor

Já me segues no Facebook e no Instagram? ♥

2 Replies to “O Amor é sempre o privilegiado”

  1. Não há como concordar mais! 😀

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Coisas FABULOSAS acontecem a quem subscreve esta newsletter!
Maria Amélia ícone
error: Conteúdo protegido!!
%d bloggers like this: